Vernizes de MetalizaçãoPreparação de SuperfícieAlquídicos SintéticosEpóxiPoliuretanosAcrílicos Base de SolventesAcrílicos Base de ÁguaNitrocelulose

Aprenda a fazer preparação de superfície

O desempenho de um revestimento anticorrosivo está diretamente ligado a escolha adequada do tipo de tinta e do adequado preparo de superfície. Uma superfície limpa, seca, isenta de contaminantes e ferrugem é uma base perfeita para a boa performance de um sistema de pintura. 


Alguns dos métodos de preparo de superfície estão aqui resumidos e deverão ser avaliados, determinando-se o grau de preparo mais adequado para diferentes situações.


Aço


Para a perfeita preparação de superfícies de aço , foram estabelecidas normas internacionais entre as quais se destacam as seguintes:


- Superfícies p/ pintura de superfícies de aço).

- NORMA ISO 8501-1 –PREPARATION OF STEEL SUBSTRATES BEFORE APPLICATION PF PAINTS AND RELATED PRODUCTS.

- NORMA NACE RM 0170 – NATIONAL ASSOCIATION OF CORROSION ENGINEERS.

 

Os graus de intemperismo e de preparação da superfície do aço referidos neste manual, estão reproduzidos na Norma ISSO 8501-1, através de padrões visuais.


Graus de Intemperismo:


- GRAU A : Superfície de aço inteiramente recoberta por carepa de laminação, intacta aderente e sem corrosão.

- GRAU B : Superfície de aço com princípio de corrosão a da qual a carepa de laminação começa a destacar-se.

- GRAU C: Superfície de aço onde a carepa de laminação foi eliminada pela ação da corrosão ou pode ser removida por raspagem, podendo apresentar pequenas cavidades.

- GRAU D: Superfície de aço da qual a carepa de laminação tenha sido removida pela ação da corrosão, e que apresenta grande formação de cavidades visíveis.

 

Pré-limpeza


Antes de preparar a superfície por um dos métodos a seguir, é essencial a remoção de todo óleo, graxa e contaminantes em geral, através de limpeza com solventes, detergentes, emulsões, vapor, etc. Vale salientar que este processo não remove ferrugem nem escamas. Quanto à segurança, são necessárias precauções quando do uso de solventes, não só pela inflamabilidade, como também pela sua toxidade.

 

Limpeza manual - Padrão St 2


Raspagem, lixamento ou escovamento manual de forma cuidadosa, para remoção de toda carepa de laminação solta, oxidação, respingos de solda e outras impurezas. Limpa-se a seguir com ar comprido ou escova limpa, deixando a superfície com leve brilho metálico, porém com riscos. 


- Limpeza Manual- Padrão St 3


Raspagem, lixamento ou escovamento manual ou mecânico de forma cuidadosa. A limpeza deve-se proceder da mesma maneira que o padrão St 2, porém, de uma forma mais minuciosa.Após a limpeza e escovamento, a superfície apresentará intenso brilho metálico, porém com riscos. 


- Jateamento Ligeiro ( Brush-Off) – Padrão Sa 1


O jato é aplicado rapidamente e remove a carepa de laminação solta e outras impurezas. Este tratamento não se aplica a superfícies que apresentam grau A de intemperismo.


- Jateamento Comercial – Padrão Sa 2


Jateamento cuidadoso a fim de remover praticamente toda a laminação, óxidos e partículas estranhas. Caso a superfície possua cavidades (pites) apenas ligeiros resíduos poderão ser encontrados no fundo da cavidade, porém 2/3 de uma área de 1 polegada quadrada deverão estar livres de resíduos visíveis. Após o tratamento a superfície deve apresentar uma coloração acinzentada. Este padrão não se aplica a superfícies com grau A .


 - Jateamento ao metal quase branco –Padrão Sa 2 ½


Jateamento total ao metal branco. Elimina-se toda carepa de laminação, óxidos e outras partículas estranhas de modo que a superfície fique totalmente livre de resíduos visíveis. Após a limpeza, a superfície deverá apresentar cor cinza. 


- Jateamento ao metal branco – Padrão Sa 3


Jateamento total ao metal branco. Elimina-se toda carepa de laminação, óxidos e outras partículas estranhas de modo que a superfície fique totalmente livre de resíduos visíveis. Após a limpeza, a superfície deverá apresentar cor cinza clara e uniforme.

 

Procedimentos para execução do tratamento de superfície por jateamento abrasivo:


1. Arredondamento de cordões e eliminação de pingos de solda e vãos entre chapas.


2. Remoção de óleos, graxas ou quaisquer contaminantes, utilizando-se panos limpos embebidos em solventes apropriados.


3. Jateamento:


3.1) Jateamento com areia por meio de ar comprimido. A areia deverá estar seca, peneirada, isenta de argila, mica, sal, pó, umidade ou outras contaminações. A areia deve apresentar granulometria que confira a superfície o perfil de rugosidade adequado ao sistema de pintura.


3.2) Jateamento com granalha de aço por meio de ar comprimido. A granalha (angular ou esférica) deve apresentar granulometria que confira à superfície, perfil de rugosidade adequado ao sistema de pintura a ser aplicado.



Após o jateamento, a superfície deve ser limpa por meio de escova, aspirador de pó ou jato de ar seco de forma a remover as partículas soltas

 

4. A aplicação da primeira demão deve ser feita antes que apareça qualquer sinal de oxidação e na mesma jornada de trabalho que foi feito o jateamento. Deve ser observado o intervalo máximo de 6 horas (ambiente industrial leve) e 4 horas (ambiente industrial agressivo) entre o início do jateamento abrasivo e o termino da aplicação da primeira demão.

 

Importante:

Não devem ser executados trabalhos de jateamento em superfícies sujeitas a ficarem molhadas antes da pintura, ou quando as superfícies estiverem a uma temperatura menor que 3°C acima do ponto de orvalho, ou ainda quando a umidade relativa do ar exceder a 85 %, a menos que seja utilizado o jateamento abrasivo úmido ou hidrojateamento, onde nestas duas situações deverá ser consultado nossa área técnica.

 

Produtos especificos para preparação de superfície: Ferromix 1.150Desengraxante 1.120 | Ultraclean 120 AM e Thinner para limpeza 1.400.